Maranhão recebeu propina

Como já dissemos aqui, Waldir Maranhão não é só investigado na Lava Jato. Ele está até o pescoço na Operação Miquéias, que desbaratou esquema de corrupção em fundos de previdência municipais.

A Época traz trecho da delação de Almir Bento, agente do doleiro Fayed Traboulsi que aliciava prefeitos para o esquema – o chamado ‘pastinha’.

Bento contou ao MPF que o agora presidente interino da Câmara recebeu R$ 60 mil em propina por intermediar investimento de R$ 6 milhões do fundo de previdência da Prefeitura de Santa Luzia, no Maranhão, numa empresa operada por doleiros.

A propina foi depositada na conta da mulher de Maranhão e bancou a sua festa de réveillon em 2012.

Depoimento do delator Almir Bento detalha propina ao deputado Waldir Maranhão (Foto: Reprodução)

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;

Ler 4 comentários
  1. Pois é… estou começando a achar que o STF de Teori, Lewandooówiski, Marco Aurélio e Barrozin estão querendo fechar essa escolinha. Barrozo, já fez seu papel ao deixar de ler certa palavrinha do regimento interno… O STF, por 2 vezes, concordou com as lambanças … Lembram?