"Pobre Supremo, pobre Judiciário"

“Pobre Supremo, pobre Judiciário”
Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF

O ministro Marco Aurélio Mello criticou neste domingo a decisão de Kassio Nunes Marques de liberar a realização de cultos e missas presenciais. Ele disse ao Estadão:

O novato, pelo visto, tem expertise no tema. Pobre Supremo, pobre Judiciário. E atendeu a Associação de juristas evangélicos. Parte legítima para a ADPF? Aonde vamos parar? Tempos estranhos!”

A decisão de Nunes Marques, como mostramos, foi tomada em ação movida pela Associação Nacional de Juristas Evangélicos, que reúne advogados ligados às igrejas protestantes. Eles pediam ao Supremo para participar do julgamento da ação do PSD contra o decreto de João Doria que proibiu cultos, missas e atividades religiosas coletivas em São Paulo.

Leia mais: Assine a Crusoé e apoie a o jornalismo independente.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO