ACESSE

Marco Aurélio cobra discussão sobre inquérito no plenário do STF

Telegram

Marco Aurélio Mello voltou a cobrar que o inquérito aberto por Dias Toffoli para apurar supostos ataques ao STF seja submetido para análise de todo o plenário.

A jornalistas que o questionaram sobre a possibilidade de perseguição a críticos do STF, respondeu: “Nesses tempos estranhos, tudo é possível”.

Defendeu que sejam levadas para escrutínio dos demais ministros a censura à Crusoé e a O Antagonista e as buscas sobre cidadãos por mensagens em redes sociais.

Para ele, todas as medidas podem ser anuladas, se o inquérito for considerado inconstitucional.

“Sim, aí caem todas as medidas, ele [o inquérito] é insubsistente. E para mim, ele se mostrou natimorto.”

Como não é relator de nenhuma das ações relacionadas ao inquérito, Marco Aurélio não pode levar o tema à discussão no plenário.

Isso caberia a Alexandre de Moraes, que conduz o inquérito, ou Edson Fachin, relator de ações contra sua abertura.

Censura à imprensa: a escuridão realmente passou? LEIA AQUI

Comentários

  • Paulo -

    O Antagonista+ deveria comentar, comparando, a censura que sofreu com o caso de que foi vítima o Estadão, impedido pela justiça federal de publicar matéria sobre a Operação Boi Barrica por 10 anos.

  • Dora -

    Saiu no Estadão que o Gilmar disse que não seria difícil,transformar a Força Tarefa em milícia, pouca vergonha desse senhor, disse ele em Portugal segundo a colunista do Estadão puxa saco.

  • J.TAJRA -

    Marco Aurélio vai ficar falando ao vento, será ignorado por seus pares, principalmente Tofolli e Moraes, autores da maior picaretagem que membros daquela corte já produziram.

Ler 70 comentários