Marco Aurélio fala em ‘clandestinidade’

Marco Aurélio Mello, voto vencido no julgamento sobre o cancelamento de títulos eleitorais, não está feliz com o resultado que se desenha.

Diz que manter a regra do jogo, vejam só, é colocar na “clandestinidade” os eleitores que não fizeram o cadastramento biométrico obrigatório e, por isso, tiveram o título cancelado.

“Como se não fossem cidadãos brasileiros…”

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 55 comentários
  1. Dentro da lei petralha, onde petralha pode tudo, os eleitores não atenderam o TSE pois eles são os maiores, não obedecem coxinhas, nem regra alguma, nenhuma lei. Eles são os donos do mundo

  2. A arrogância desse cara é insuportável. Não tem uma vez que não discorda de seus pares (para o bem ou para o mal). A permanência de um togado deveria ser limitada a no máximo 8 anos.

  3. Marco Aurélio Mello, já está na hora do senhor jogar com as regras estabelecidas. Hoje, faltando 10 dias aproximadamente para o pleito o senhor vem com este papo! É desolador ouvir-lhe.

  4. Achei que cidadão tinham deveres. E se eu não renovar minha carteira de motorista, a matricula do filho na escola, etc. Será que eles deixam de fazer o recadastramento no Bolsa Família? Façam-me

  5. A frase de Marco Aurélio se aplica a toda contravenção: assassinaram e foram presos, “como se não fossem cidadãos brasileiros…” Roubaram e foram condenados, “como se não fossem cidadãos

  6. Esses ministros merecem tomar um tapa na orelha pra ver se acordam e saem do mundo paralelo em que vivem! Estes pulhas devem achar tb que preso é um ‘cidadão que tem direito a votar’!