Marco Aurélio: "O quadro realmente é inusitado, para dizer o mínimo"

O ministro Marco Aurélio Mello comentou com Miriam Leitão a manifestação de Raquel Dodge pelo arquivamento do inquérito aberto para apurar supostos ataques ao STF.

“Quando vemos algo que possa haver crime, nós submetemos ao Ministério Público. O Estado acusador é o MP, não é o Supremo. O presidente resolveu instaurar o inquérito. O primeiro equívoco é esse. O segundo, quando ao invés de levar à distribuição ele designou um relator, o ministro Alexandre de Moraes. Eu não aceitaria nunca porque foi a quebra da organicidade do próprio tribunal. Agora se partiu para uma censura, o que é inconcebível de um guardião maior da Constituição. Ficou tudo mais estranho com essa postura do Ministério Público porque se houvesse o respaldo maior iria desaguar numa ação penal, o titular é o Ministério Público. E tudo se fez visando proteger um dos integrantes do Supremo.”

“Se ele não mandou, e ela oficiou pelo arquivamento, o quadro realmente é inusitado, para dizer o mínimo”, acrescentou.

Comentários

  • Mauro -

    Toffoli ocupa a quinta cadeira do STF, que já foi ocupada por Thompson flores, Sepúlveda, e por último Menezes Direito, que morreu, pra toffoli poder assumir.

  • Presidente-XVII -

    Brasil. Esse país não é pra amadores.

  • Patrício -

    Pau que nasce torto, morre torto. Não dá para corrigir uma barbaridade insana dessas com uma peça escorreita, Marco Aurélio. A peça tinha que ser mesmo fora da casinha para corrigir o malfeito.

Ler 84 comentários