ACESSE

Marina: “Não vou desconstruir adversários”

Telegram

Marina Silva, em entrevista ao Jornal da Globo na madrugada deste sábado, foi questionada sobre o mau momento nas pesquisas:

“Meu eleitor é o mais livre, porque não tem uma aderência a priori a isso ou aquilo. São pessoas livres pra dar o voto a quem quiser. A eleitor cativo não importa se (o candidato) roubou ou agrediu, é quase uma religião. Eu entrei (na campanha) sabendo das dificuldades, tenho 21 segundos de TV. Não me disponho a prometer qualquer coisa. Não vou desistir de falar a verdade. Não vou desconstruir adversários.”

A candidata da Rede disse também que não pretende revogar a reforma trabalhista caso seja eleita:

“A reforma trabalhista precisa de mudanças, foram cometidas algumas atrocidades. Por exemplo, uma mulher grávida ter de trabalhar numa situação de risco para ele e o bebê. Uma pessoa que vive sob trabalho escravo ter de pagar a perícia técnica. Isso praticamente veda o acesso à Justiça para pessoas mais vulneráveis. O trabalho intermitente também precisa ser revisto. Não digo que tem que revogar a reforma trabalhista, mas tem de rever”.

Comentários

  • Mauro -

    Nem li o que essa louca sonsa falou. Nao tem relevância nenhuma! Daqui a 4 anos quem sabe, ela aparece de novo.

  • João -

    Volta pra Selva e nos vemos daqui 4 anos

  • Norberto -

    Latiu latiu e não disse nada com coisa alguma!

Ler 63 comentários