ACESSE

Marinha descarta vazamento de óleo e minério em navio encalhado no MA

Telegram

A Marinha informou que realizou sobrevoos com a aeronave do Ibama e não identificou até agora vazamentos de óleo ou minério próximo ao navio graneleiro que está encalhado a cerca de 100 quilômetros da costa maranhense desde o fim de fevereiro.

De acordo com a Marinha, a situação no local permanece estável, sendo que duas embarcações especializadas em recuperação de derramamento de óleo utilizam seus radares de oil spill para monitoramento a cada quatro horas e não foram identificados vestígios da substância na água.

“As equipes de mergulho prosseguem com os trabalhos de inspeção da embarcação para
que sejam identificados os danos no casco e compartimentos alagados”, diz nota divulgada pelo Centro de Comunicação Social da Marinha.

A Marinha realizou uma reunião nesta segunda para  discutir saída para o encalhamento com representantes da Vale S.A, Ibama, Polícia Federal, ARDENT GLOBAL, Gerência Ambiental do Porto do Itaqui, Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA) e Agentes Marítimos.

Desde o dia 24 de fevereiro, um navio carregado com toneladas de minério de ferro começou a afundar por causa de dois buracos em sua estrutura. A embarcação estava abastecida com minério da Vale e saiu do Terminal Portuário da Ponta da Madeira, em São Luís. A parada final seria em Qingdao, na China

Leia também: Bolsonaro, o presidente refém.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 2 comentários