Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Mario Sabino, na Crusoé: Flashback

"Nunca pensei que gostar de dançar pudesse ser um problema, até ter filhos", diz Mario, em sua coluna na edição desta sexta da Crusoé
Mario Sabino, na Crusoé: Flashback
Foto: Renzo Fedri/O Antagonista

“Eu gosto de dançar. Rock e pop, basicamente”, diz Mario Sabino, em sua coluna na Crusoé. “Dança de salão: sou incompetente, ao contrário de um dos meus irmãos, verdadeiro pé de valsa (ou salsa). Muitos anos atrás, ele e a sua primeira mulher pararam uma discoteca em Nova York, enquanto dançavam ao som de La Isla Bonita, da Madonna. Era um verdadeiro deleite vê-los rodopiar juntos.”

Meu negócio é apenas sacudir o esqueleto. Nunca pensei que gostar de dançar pudesse ser um problema, até ter filhos. Quando pequenos, eles dançavam comigo. Ao adolescer, não apenas deixaram de me acompanhar nas coreografias caseiras, como passaram a ter vergonha de assistir ao pai dançando. E eu comecei a me sentir intimidado.”

“Não é fato intransferível. Alguns anos atrás, assisti a uma entrevista do Mick JaggerLá pelas tantas, ele disse que os seus filhos, quando adolescentes, tinham vergonha de ver o pai dançando — o que convenhamos era um problema, visto que, bem, ele era o Mick Jagger. Como não parou de procriar, a estrela dos Rolling Stones deve ter sido alvo de vergonhas alheias juvenis durante mais anos do que a média de nós todos.”

Leia aqui a coluna completa.

Mais notícias
TOPO