ACESSE

MBL diz que presos não são integrantes do grupo

Telegram

O MBL negou que os dois presos em São Paulo sejam integrantes do grupo.

Alessander Monaco Ferreira e Carlos Augusto de Moraes Afonso, conhecido nas redes sociais como Luciano Ayan, foram acusados pela Receita Federal de desvio e lavagem de dinheiro.

Diz a nota do MBL:

“Alessander Monaco Ferreira e Carlos Augusto de Moraes Afonso não são integrantes e sequer fazem parte dos quadros do MBL. Ambos nunca foram membros do movimento.”

Leia mais: Comprovação do elo entre a Presidência da República e o gabinete do ódio complica Bolsonaro. Clique e leia

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 15 comentários