MEC pretende criar fundo gerido pela Bolsa às universidades

Telegram

Pelo programa Future-se, o Ministério da Educação quer que universidades e institutos federais possam ter acesso a um fundo multimercado, que contará com aporte da União, e será gerido na Bolsa de Valores.

Trata-se um fundo privado com aporte de R$ 102,6 bilhões, sendo R$ 50 bilhões de patrimônio da União e o restante de leis de incentivo, fundos constitucionais, recursos da Lei Rouanet e de fundos patrimoniais.

Além de dar autonomia para as universidades, criando outras formas de receita para as instituições de ensino, Abraham Weintraub afirma que a estratégia “evita erros do passado”, por criar um fundo autorregulado, e não gerido por uma única pessoa.

Modelo que já tem base legal pode ser o caminho para destravar universidades. CONFIRA

“Estamos construindo um modelo institucional que aguente a alternância de poder, que evite a indicação política na gestão desse dinheiro.”

Comentários

  • Polistyca -

    Chega de petismo barangão na UFMG (BH).

  • ADALMO -

    Esquerda é contra.

  • GAC -

    Em governos ideológicos, duvido que não haverá indicações políticas.

Ler 14 comentários