“Medida abusiva, desnecessária e ilegal”

A defesa de Carlos Arthur Nuzman protocolou novo habeas corpus no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2).
Na alegação, os advogados chamam a prisão preventiva determinada ontem por Marcelo Bretas de “medida abusiva, desnecessária e ilegal”.
Os mesmos adjetivos poderiam ser aplicados à conduta de Nuzman na compra de votos para o Rio sediar as Olimpíadas de 2016.

13 comentários

  1. Todo o mundo é preso, provisoriamente, ou preventivamente. Entretanto, Lula, com todo o que ele andou fazendo e dizendo, inclusive ameaçando com o “exército do Stédile”, continua livre como as andorinhas. A Justiça é mesmo igual para todos?

  2. Vai espernear a língua assim lá pra punta del p…, seu canalha!Com o Cabral também começou assim. Só faltava o altar pra pousar o Anjo. E isso que nem sabiam que esse altar poderia estar cravejado de ouro, diamantes, rubis…

  3. Abusivo é a situação de milhões de desempregados, sem poder pagar as contas nem ter comida na mesa , estes asno com todo aquele ouro jamais saberá o que é isto, pois na cadeia ainda ganha tudo de graça.

  4. A mesma criatividade inerentes aos advogados cuidadores de bandidos. A prisão preventiva sempre é abusiva e desnecessária, mesmo quando se trata de criminosos de alta periculosidade, como é o sujeito desse caso. Ladrão Vagabundo com “ele” e “ve” maiúsculos.

  5. Prende os advogados, eles estão recebendo como pagamento dinheiro proveniente dos ilícitos
    penias praticados por Nuzman.

  6. …é medida ainda pouca para o quanto a quadrilha olímpica de Nuzman envergonhou e pichou e denegriu e ultrajou o país do futebol e a brava gente brasileira perante a comunidade planetária. Nuzman traiu o esporte brasileiro e os abnegados, aguerridos, sonhadores atletas olímpicos. Nuzman & Cabral & Lula & Cia dos Ladrões Olímpicos cometeram crime de alta traição lesa-pátria. Devem apodrecer na cadeia.

  7. Se me referir especificamente à notícia acima ou a quem tenha sido citado, digo o seguinte: quando algum “ilustre” pratica delito no Brasil, espera sempre ficar fora de um presídio.
    Sabe que a justiça brasileira é cara, lenta, ineficiente e improdutiva e que um dia pode até haver a prescrição da pretensão punitiva.
    O que faz uma pessoa pensar duas, três, quatro vezes antes de cometer um crime é a severidade do castigo.
    Se não houver ou se for brando, a delinquência tende a aumentar exponencialmente da forma como ocorre no Brasil.

Comentários temporariamente fechados.
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.