Meirelles: “Não tenho obsessão de ser presidente”

Henrique Meirelles está feliz de ser lembrado entre os presidenciáveis, por mais que sua assessoria tenha de negar suas declarações (públicas até) de que aceitaria ser candidato.

Hoje o ministro da Fazenda acordou cedinho para dar entrevista à Rádio Band News. Ele voltou a afirmar que tem “consciência” de que é presidenciável.

Mas também voltou a dizer que não tem o “desejo específico” de chegar ao Planalto. Tudo vai depender do comportamento da economia até o ano que vem. Por isso, ele insistiu — orientado por seus assessores — que está focado no crescimento da economia, principalmente por meio da criação de empregos.

“Não posso descartar nada, até porque preciso gastar tempo pensando nisso (na economia e na candidatura). (…) Não tenho, como alguns políticos, obsessão de ser presidente da República.”

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;

Ler 12 comentários
  1. Não tem obsessão para ser Presidente, mas depois de “odalisca” vai querer ser a “Cleopatra”. E vai insistindo na Previdência para beneficiar fundos privados dos bancos.

  2. Só pode ser piada a intenção desse senhor em ser candidato… pode até ser, as urnas mostrarão o quanto o brasileiro tem asco de ao menos ouvir essa voz do submundo.

  3. Meireles é um procurador do sistema bancário, e seria mais um “presidento”sem pulso e sem primeira dama, a saída é BOLSONARO 2018, quanto a
    Quanto a economia, ela esta estável e com inflação baixa , não por méritos deste governo e sim pela recessão que nos encontramos. Basta o governo não inventar magicas econômicas que as coisas se acertam.

  4. A economia não vai resistir pra sempre com apenas a promessa de reformas. Elas precisam ser feitas de fato. Uma hora o mercado perderá a confiança, e todos os índices econômicos desabarão de
    uma vez. Esse é o cenário perfeito para um populista ganhar a eleição de 2018 e terminar de afundar o Brasil.

  5. Ninguém deveria ter essa obsessão.
    Normalmente quem quer muito, é porque é menor que o cargo.
    O importante é que essa possibilidade sirva de incentivo para Meirelles se empenhar ainda na economia. Afinal, quanto mais ela crescer, mais crescem as chances dele.