Mesada de Cabral para ex era de R$ 100 mil, diz delator

Carlos Miranda, o “homem da mala” de Sérgio Cabral que fechou delação premiada, depôs hoje a Marcelo Bretas no Rio.

Segundo ele, Susana Neves, ex-mulher do ex-governador do Rio, recebia uma mesada de R$ 100 mil, fruto de propina. Os depósitos começaram na época em que Cabral era senador.

“Era um compromisso pessoal do Sérgio. [Susana] Não tinha conhecimento nenhum [de que era fruto da propina]”, disse Miranda, de acordo com o relato de Gabriel Barreira, do G1.

Comentários

  • Sonsão -

    Suzana Neves (como a maioria dos Neves) nunca imaginou que fosse propina. Nunca parou para entender como o ex-maridão como político profissional podia passar à ela, um valor muito maior do que seus proventos reais. Nesta altura não sei o que é pior: se passar por conivente ou por estúpida. E o sonso sou eu!!!

  • luizs -

    Esse crápula dizer que a ex não tinha conhecimento da propina, num país um pouco mais sério, bastaria para o cancelamento do acordo e deixar essa merd* apodrecer na cadeia. Maldito, pensa que somos trouxas.

  • Inocêncio -

    Tolinhos. Comparem a carinha da Adriana Ancelmo nos bons tempos com (com todo o respeito) a da ex, a qualquer tempo. Eu, com o dinheiro que o Cabral tinha "ganho" pagava 200 mil e ainda acendia vela na Igreja da Candelária. Bobinho ele.

Ler 12 comentários