ACESSE

Miguel Iskin é preso novamente

Telegram

A Polícia Federal prendeu o empresário Miguel Iskin, acusado de fraudes e desvio de verba pública em contratos na Saúde do Rio nas gestões de Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão.

Iskin foi preso pela primeira vez em 2018, na Operação SOS, e solto em setembro do ano passado por Gilmar Mendes. Na semana passada, a pedido da PGR, a Segunda Turma do STF derrubou a decisão e permitiu a nova prisão do empresário.

Iskin já é alvo de sete denúncias na Lava Jato do Rio e já tem duas condenações que somam penas de 47 anos e 4 meses de prisão.

A SOS revelou prejuízo de R$ 52 milhões aos cofres públicos por meio da contratação da organização social Pró-Saúde. Segundo as investigações, Iskin exigia o repasse de 10% de tudo o que fosse pago a fornecedores de hospitais públicos que administrava.

Após a publicação desta matéria, a Pró-Saúde divulgou a seguinte nota:

A Pró-Saúde informa que, desde 2017, tem colaborado de forma irrestrita com as investigações e vem adotando ações para o fortalecimento de sua integridade institucional.”

Leia também: O temor da cassação no Planalto

Comentários

  • marianomonkey -

    Ele conta com um dos melhores, se não o melhor, afvogado do país: Gilmar Mendes!

  • Democrata -

    Dos O que merece um patife desses?? O cara tem que permanecer

  • Laércio -

    Esse cara tem a iskin grossa. Duvido que sofra alguma pena.

Ler 4 comentários