ACESSE

MILLER DIZ QUE PROCUROU "HIGIENIZAR SUA SAÍDA DO MPF"

Telegram

O Antagonista obteve o depoimento de Marcelo Miller, o ex-procurador que se tornou pivô do escândalo da delação premiada da JBS.

Ao MPF do Rio, na sexta-feira passada, Miller narrou como se deu sua ‘passagem’ do MPF para a iniciativa privada. Ele disse que leu sobre regras de quarentena e “procurou higienizar sua saída”.

Explicou que a JBS lhe fez duas propostas de emprego, mas que ele optou por trabalhar no Trench, Rossi e Watanabe, “por sua atuação global”. E que então a JBS resolveu contratar o escritório. Só então se reuniu com Francisco de Assis e Silva, diretor-jurídico do grupo J&F.

“Apesar de estar de férias, entendeu que não haveria nenhuma incompatibilidade na reunião, pois estava na iminência de ser efetivamente exonerado, não só porque já havia pedido exoneração, como também porque se desvencilhara de todos os grupos dos quais fazia parte institucionalmente, inclusive despedindo-se na rede de membros.”

Miller diz ainda que, embora ainda tivesse acesso a banco de dados da Lava Jato, garante que não o acessou no período.

Comentários

  • Marco -

    Da mesma forma que todos procuramos higienizar nossa saída de um banheiro...

  • pró -

    Abaixo o Linkedin do Zé Mané Miller. Consta como ” atual” : MPF , e consta também SÓCIO de TRENCH, ROSSI , WATANABE desde MAIO/2017 ….. https://br.linkedin.com/in/marcello-miller-23338267

  • The -

    Só podemos higienizar alguma coisa que esteja suja. O operador do Prevaricador Janot confessou e ainda vai ficar ileso. Vai ficar ileso porque é hoje o maior homem bomba do país. Esses depoimentos são apenas teatro. Num país sério, Janot, Miller e Fachin já estariam em cana.

Ler 8 comentários