Minas também vai quebrar

Levantamento do jornal Estado de Minas na última folha de pessoal disponível em cada um dos poderes em Minas Gerais encontrou 1.426 pagamentos superiores ao teto constitucional.

Custo ao contribuinte? R$ 70.969.488,72 líquidos – depois de descontados o Imposto de Renda e a Previdência Social. A média salarial líquida é de R$ 49.768,22.

O maior contracheque encontrado foi no Tribunal de Justiça: R$ 374.298,15 pagos a um juiz da ativa em outubro.

Faça o primeiro comentário