ACESSE

Ministério da Justiça não atua como ‘escritório do presidente’, diz Mendonça

Telegram

O ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, afirmou que a pasta não atua como “escritório de advocacia” do presidente Jair Bolsonaro.

“Se houver alguma divulgação em que o presidente se sinta vítima de injúria, difamação, calúnia, ele tem o direito de se sentir ofendido”, disse em entrevista à Jovem Pan.

Mendonça ainda afirmou que a Lava Jato foi um “marco histórico da sociedade brasileira” e que os “eventuais equívocos” da operação não podem desqualificá-la.

“A Lava Jato trouxe à luz uma corrupção sistêmica, e esses sim são os verdadeiros atos antidemocráticos praticados contra a sociedade brasileira. Nós estamos buscando a construção do estado democrático de direito e também temos que avaliar eventuais ajustes que podem ser feitos. Se erros ocorrem, precisam ser sanados.”

O escritório está na PGR.

Leia mais: A 'paz conveniente' reina em Brasília

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 91 comentários