Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Ministro da Educação cita escolas sem saneamento ao justificar veto à internet

Milton Ribeiro disse que há necessidades mais urgentes do que "simplesmente dar um tablet com conexão" a alunos e professores
Ministro da Educação cita escolas sem saneamento ao justificar veto à internet
Foto: Isac Nóbrega/PR

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou hoje, em entrevista à Rádio Bandeirantes, que o governo federal vetou o projeto de lei que garante acesso à internet a alunos e professores da educação básica pública por entender que há necessidades mais urgentes nas escolas públicas.

“Quando eu olho e vejo 8,5 mil escolas sem saneamento básico, eu tenho que pensar onde colocar esse recurso. Eu prefiro atender algumas prioridades mais prementes da sociedade brasileira do que simplesmente dar um tablet com conexão.”

De acordo com o ministro da educação, das 134 mil escolas públicas brasileiras, 3,4 mil estão sem água; 3,8 mil sem energia elétrica e 8,5 mil escolas sem saneamento básico.

A lei, que prevê aplicação de R$ 3,5 bilhões de recursos federais em ações de conectividade, foi vetada pelo presidente Jair Bolsonaro, mas o Congresso derrubou o veto em junho.

Em julho, o governo federal entrou com uma ação no STF para suspender a lei. A Corte determinou que o Planalto adotasse a medida até o dia 4 de agosto. No fim da noite, no entanto, foi publicada uma medida provisória em edição extra do Diário Oficial da União para alterar a legislação. O ato retirou o prazo para que a União aplique a verba em ações de conectividade.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO