Ministro da Educação culpa 'gestores anteriores' por corte de R$ 1 bi na pasta

Ministro da Educação culpa gestores anteriores por corte de R$ 1 bi na pasta

Sem citar o antecessor, Abraham Weintraub, Milton Ribeiro afirmou nesta quinta-feira (17) que o corte de quase R$ 1,6 bilhão no Ministério da Educação aconteceu por falta de execução de “gestores anteriores”.

Ribeiro assumiu o MEC em julho, após a demissão de Weintraub, e foi cobrado hoje sobre o corte de verbas da pasta, durante uma reunião da comissão do Congresso que acompanha as ações do governo contra a Covid-19.

“Os gestores anteriores não empenharam e executaram os valores. E o povo lá da Economia, que quer economizar de todo o jeito, viram que havia lá um valor considerável, praticamente parado, no segundo semestre”, disse o ministro.

“E eles simplesmente estenderam a mão e mudaram essa rubrica e tiraram da gente. Então, foi isso o que aconteceu”, aconteceu Ribeiro.

O titular da Educação afirmou ainda que chegou a ir ao Palácio do Planalto pessoalmente para tentar reverter o corte, sem sucesso.

Leia mais: Exclusivo: a estranha rotina do ex-ministro de Bolsonaro
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 12 comentários
TOPO