Ministro da Saúde também é acusado

A Folha informa que o delator Eduardo Lopes de Souza também disse ter pago uma “mesada” de R$ 15 mil ao ministro da Saúde, o pepista Ricardo Barros.

Os pagamentos foram feitos, segundo ele, a Juliano Borguetti, irmão de Cida Borghetti, que é mulher do ministro e vice-governadora da gestão de Beto Richa.

A mesada, diz o delator, visava a empregar uma pessoa ligada à empreiteira como assessora da vice-governadoria do Estado.

Tanto Barros como Juliano Borguetti negam as acusações.

4 comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200

  1. PARANÁ, estado em que a população teoricamente tem um nível cultural elevado permitiu que se estrutura-se um CLÃ em uma de suas maiores cidades que é MARINGÁ. O esquema fecha qualquer possibilidade de dinheiro público entrar para o Estado sem que alguém do CLÃ tenha acesso ou participação no montante. A nível Estadual, Federal e Municipal.
    Besteira!, então tá bom…alguém já ouviu falar de CLÃS como: Renan, Sarney, Collor, Barbalho…estes criminosos dominam seus estados a 40 anos. Olhem o IDH destes estados paupérrimos!. É ISSO AI PARANÁ—ACORDA.

  2. Esse ministro boca-rota não passa de um imenso incompetente; pra coroar, também é corrupto. Tão corrupto que faz campanha eleitoral no Paraná com nosso dinheiro e nem fica vermelho. Também, cadê a tão sonhada vergonha-na-cara?