Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Ministro do STJ revoga prisão de alvo da Operação Faroeste, mas réu segue preso

Maturino faz parte de quadrilha que comercializava decisões judiciais do Tribunal de Justiça da Bahia e se apresentava como cônsul da Guiné-Bissau
Ministro do STJ revoga prisão de alvo da Operação Faroeste, mas réu segue preso
Brasília,07/12/2016. Sessão da Corte Especial do STJ. Ministro Og Fernandes. Foto : Sergio Amaral/STJ

O ministro Og Fernandes (foto), do STJ, revogou a prisão de Adailton Maturino, um dos alvos da Operação Faroeste. O empresário, no entanto, seguirá preso porque é alvo de outra ordem de prisão no âmbito da Operação Immobilis, decorrente da Faroeste. A informação foi dada pelo jornal O Globo e confirmada por O Antagonista.

“Passados quatro meses do término das audiências de oitiva das testemunhas arroladas pelo MPF e pelas defesas, não há relatos de circunstâncias que indiquem a necessidade de custódia cautelar do acusado, cuja defesa técnica tem demonstrado, até o momento, postura colaborativa com a instrução processual. Soma-se a isso o fato de ainda não haver previsão para encerramento da instrução probatória com o interrogatório dos réus, em que se pese a tramitação processual estar seguindo curso prospectivo, mesmo diante das dificuldades impostas pela pandemia e pela complexidade desta ação penal”, disse.

Quando for solto, o ministro proibiu Maturino de acessar as dependências do TJ/BA, de se comunicar com outros investigados a operação e pela adoção da monitoração eletrônica por tornozeleira eletrônica.

Maturino é apontado como integrante de uma quadrilha que comercializava decisões judiciais do Tribunal de Justiça da Bahia. Ele se apresentava como cônsul da Guiné-Bissau, cargo nunca reconhecido pelas autoridades brasileiras.

Clique aqui para ler a decisão do ministro.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO