Ministro Fux, é preciso respeitar a Itália e as famílias das vítimas do terrorista Battisti

Telegram

Vinte e cinco milhões de brasileiros são descendentes de italianos. A Itália, democracia ocidental  do clube das economias mais ricas do mundo,  é um dos maiores parceiros comerciais do Brasil. Só a Enel, a gigante de energia italiana, vai investir aqui 3,9 bilhões de euros até 2019.

E como o Brasil trata a Itália? Com desprezo. Com desconfiança da sua Justiça. Como se fosse uma nação sem importância. Como se fosse um país inimigo.

Está-se falando de Cesare Battisti. O ministro Luiz Fux, relator da ação ora em curso no STF, engavetou a reclamação da defesa do terrorista há quase um ano. Apesar de a Advocacia Geral da União ter defendido o direito de Michel Temer revogar a decisão indecente de Lula, que rasgou o tratado de extradição com a Itália e deu abrigo ao assassino em 2010. Apesar de a Procuradoria Geral da República ter enviado parecer a favor do direito de Temer de expulsar o terrorista. Apesar da juíza Adverci Rates Mendes Abreu, da 20a Vara do Distrito Federal, também a pedido de Fux, ter reiterado que o criminoso deve ser deportado. Apesar de o ministro da Justiça, Torquato Jardim, ter afirmado que o bandido precisa ser mandado embora, depois de ter infringido as regras estabelecidas para a sua permanência, quando tentou fugir para a Bolívia. Apesar de o presidente da República já ter decidido extraditar o homicida para a Itália, onde foi condenado à prisão perpétua pela morte de quatro inocentes.

Roma não entende o que ocorre em Brasília.  Ninguém entende, porque não há o que entender. Ministro Fux, é preciso respeitar a Itália. É preciso respeitar as famílias das vítimas do celerado. É preciso que o sicário finalmente pague pelos seus crimes.

Ministro Fux, tire da gaveta o caso do terrorista Battisti, para que o STF reafirme o direito de Temer despachá-lo para uma cadeia italiana. O Brasil não pode continuar a ser valhacouto de um facínora.

Comentários

  • José -

    Concordo plenamente com o ministro.

  • Alziro -

    Não adianta esses togados virem a publico dizer que o povo não entende de leis. Meus caros, o povo entende de justiça, e isso é o que VOCÊS não entendem.

  • RAFABALA -

    E ainda tem gente que venera esse marginal, esse lixo, à quem tratam por Lula, aonde esse vadio pôs as mãos foi só desgraça, conseguiu prejudicar famílias até na Itália protegendo um criminoso.

Ler 88 comentários