Missão cumprida

Missão cumprida
Foto: Pedro França/Agência Senado

“O modelo da força-tarefa, que tem na Lava Jato seu maior exemplo, enfrenta um cerco que parece insuperável”, diz O Globo, em editorial.

“Murchou em 2020 e não chegará a 2022 se o procurador-geral da República, Augusto Aras, persistir em seu plano de esvaziamento (…).

Sem ter pela frente nem Sergio Moro nem o procurador-chefe Deltan Dallagnol, afastado por problemas de saúde na família, Aras viu enfim a chance de acabar com o estorvo que as forças-tarefas representam para qualquer político investigado. Missão dada e, pelo visto, missão cumprida.”

 

Leia mais: Não deixe de ler a edição especial da Crusoé, a revista que fiscaliza TODOS os poderes.
Mais notícias
TOPO