Molina voltou

A Veja diz que a defesa de Michel Temer acionou Ricardo Molina de novo: o argumento é que “a gravação (periciada pela PF) não reproduz a conversação original”.

“Aceitar uma gravação dessa vai contra qualquer princípio jurídico. 23% da conversa foi perdida. Ela não pode ter validade como prova”, argumentou Molina.

“Eles não responderam meus quesitos porque não quiseram sair da zona de conforto. Eram incômodos e não davam espaço para subterfúgios. A perícia é inconclusiva. Eles falam que tudo é ‘plausível’, ‘compatível’.”

Faça o primeiro comentário