O pacto de não agressão

Ricardo Pessoa detalha os percentuais da propina para cada contrato, fala das obras em que houve acerto prévio para UTC ganhar e cita um chamado “pacto de não agressão” entre as empreiteiras. Só para lembrar, 70% dos negócios da UTC foram com a Petrobras.

“Nas obras que ganhamos sempre houve propina”, disse. Segundo Pessoa, o pagamento se tornou automático. “Não se discutia mais se tinha que pagar ou não. Discutia-se quanto ia pagar”

Obras ganhas por consórcios integrados pela UTC de Ricardo Pessoa: Unidade de propeno da Revap, unidade de propeno da Replan, planta de gasolina da Repar, HDS da Revap, HDT da Refap e Pipe-Rack do Comperj.

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200