Monitoramento das redes de procuradores é ‘inaceitável’, diz presidente da ANPR

O presidente da ANPR (Associação Nacional dos Procuradores da República), Fábio George Cruz da Nóbrega, reagiu ao anúncio da CNMP de que o órgão fará análise semanal das redes sociais dos procuradores.

“Qualquer tipo de monitoramento prévio causa estranheza e dá a entender que está havendo uma desconfiança em relação à classe inteira”, disse Nóbrega à Folha.

“É claro que a Corregedoria pode punir os excessos, é da regra do jogo, mas o monitoramento do que se posta, do que se diz, parece algo inaceitável. O papel da Corregedoria é de orientação. Se os colegas não seguem a orientação, isso vai levar a sindicâncias. Mas todo tipo de monitoramento, de cerceamento, parece excessivo na medida em que a regra é a liberdade de expressão”, afirmou.

“A ANPR acompanha o assunto com preocupação para tomar, se for o caso, as medidas administrativas e judiciais cabíveis.”

Comentários

  • marcelo -

    ALÉM DE SOVIETE, esse conselho quer monitorar a vida e não o trabalho do funcionário putaque pariusonobrasil

  • marcelo -

    democracia que farsa é essa. democracia com 13 anos o legislativo de representatividade sendo comprado pelo executivo PTralha. é democracia STF fazendo leis indo contra consittuição. CLEPTOCRACIA

  • Arlindo -

    Credo em Cruz, a ditadura do judiciário não para de crescer. O estado está se tornando um estado policial. E não é o executivo. Este só faz besteira, mas não é do mal

Ler 52 comentários