ACESSE

Moraes cita denúncias de Joice e Frota contra 'gabinete do ódio' em inquérito das fake news

Telegram

Ao autorizar hoje buscas e apreensões contra bolsonaristas no inquérito das fake news, Alexandre de Moraes citou depoimentos de Joice Hasselmann e Alexandre Frota na CPI das Fake News que apontaram integrantes do “gabinete do ódio”, que seria formado por assessores de parlamentares dedicados a disseminar ofensas contra autoridades.

O ministro destacou que as investigações realizadas no inquérito do STF “vão ao encontro” do que disseram os deputados na CPI. Moraes considerou a “real possibilidade de existência de uma associação criminosa” dedicada a espalhar nas redes “flagrante conteúdo de ódio, subversão da ordem e incentivo à quebra da normalidade institucional e democrática”.

E reproduziu, na decisão, várias declarações de Joice e Frota na comissão.

“Quando surgia alguma postagem ou hashtag ofensiva ao STF ou algum de seus membros, um dos integrantes do grupo retransmitia e em questão de minutos isso era disseminado pelas redes sociais e para inúmeros outros grupos, seja pela atuação de integrantes da organização, seja por utilização de robôs”, disse a deputada na CPI.

“O mesmo “modus operandi” foi adotado para atacar ministros do STF, notadamente o Ministro Gilmar Mendes. O impeachment deste nunca existiu na realidade, mas foi criado e disseminado virtualmente por esse grupo, alcançando enorme repercussão”, apontou Frota em seu depoimento.

Leia também: Bolsonaro mandou investigar Witzel?

Comentários

  • SERGIO -

    É ministro Alexandre de Moraes ou delegado, heim? Diz aí, Antagonistas.

  • Oliveira -

    Estou vera impressionado pela coleção de provas apresentadas.

  • Jose -

    Esses dois não temporal nenhuma, dois bostas

Ler 18 comentários