ACESSE

Moro: "Há um enfraquecimento do Ministério Público durante o governo Bolsonaro"

Telegram

Sergio Moro comentou a proposta de regulamentação da negociação de acordos de leniência — que são as delações premiadas das empresas — que vem sendo finalizada pelo presidente do STF, Dias Toffoli, em parceria com o Palácio do Planalto.

A proposta retira o Ministério Público Federal das negociações e concentra os poderes na Controladoria-Geral da União (CGU) e na Advocacia-Geral da União (AGU), órgãos subordinados ao presidente Jair Bolsonaro.

“O Ministério Público é fiscal da lei e tem garantias institucionais maiores para atuação independente do que a AGU ou a CGU, sendo oportuna a atuação conjunta de todos nos acordos de leniência”, disse o ex-ministro da Justiça a Bela Megale, em O Globo.

Moro completou:

“Há um enfraquecimento do Ministério Público durante o governo Bolsonaro.”

Aproveite e leia a coluna de Sergio Moro na edição desta semana da Crusoé (aqui).

Leia mais: A 'paz conveniente' reina em Brasília

Comentários

  • lvaro -

    Em escritório do Crime, que existiam, e, provavelmente ainda sim, o final é a derrota. Em antro de traidores a lógica é que se enfraqueçam, pelas suas características. Não pelo Presidente.

  • Maria -

    Tudo enfraquece nesse desgoverno traidor. Enganou os brasileiros e só não vê quem não quer. Escancarou. A bandidagem agradece e vai ao delírio.

  • Daniel -

    Esse aí tá falando mais que a boca, mas sobre os amiguinhos Aécio, Serra, Alckmim nem um pio né? Pelo menos um parabéns a PF...

Ler 86 comentários