Moro interrompe o achaque

Sergio Moro acatou o pedido dos procuradores da Lava Jato e impediu o uso das delações premiadas por parte de órgãos ligados ao governo federal.

Diz a Folha de S. Paulo:

“A decisão de Moro foi proferida no dia 2 de abril e atinge a AGU, a CGU, o Cade, o Banco Central, a Receita Federal e o TCU.

No despacho, que é sigiloso, o juiz altera nove decisões anteriores em que autorizara o compartilhamento de provas da Lava Jato com esses órgãos, que têm a atribuição de buscar reparação de danos causados aos cofres públicos e aplicar multas e outras penalidades de caráter administrativo.”

Com essa medida, evita-se que se achaque as empresas a fim de calar os delatores.

Comentários

  • antonio -

    OP. LAVA-JATO devia ter pensado nisso desde o começo. Falha grava do todos da operação. OP. LAVA-JATO devia ter pensado nisso desde o começo. Falha grava do todos da operação. devia ter pensado nisso desde o começo. Falha grava do todos d operação

  • Fernando -

    Juridicamente pode ser questionável a decisão, comentaristas que entendem do assunto dizem que o certo era permitir o uso das informações das delações, porém, até eu que sou leigo sei que se esses órgãos são controlados pelo governo federal, cujos chefes são corruptos, é evidente que podem manipular os dados pra melar as delações com uma provável CPI que O Antagonista noticiou ontem, é o sonho dos bandidos, mas to nem aí pra esse juridiquês, Moro ta certíssimo de barrar essa manobra.

  • TFC -

    O antagonista elegeu o juiz moro o novo rei do Brasil. Até o coco do juiz é limpinho e cheiroso.

Ler 60 comentários