MORO MANTÉM PRISÃO DE PICADOR DE DOCUMENTOS

A pedido do MPF, o juiz Sérgio Moro acabou de determinar a prorrogação da prisão temporária de Ademir Auada, responsável pela Murray Holdings junto ao escritório Mossack Fonseca.

Moro considerou que Auada deve permanecer preso, pois foi “surpreendido na atividade de picotar documentos”, obstruindo a investigação.

Para o juiz, também se faz necessário o “melhor exame do material apreendido”, que “poderá revelar a necessidade de novas diligências, oitivas ou novas buscas e apreensões, protegendo no período novas destruições de documentos”.

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200