Moro nega pedido de réu “acometido de natural saudade”

Sérgio Moro negou ao empresário Mariano Marcondes Ferraz, da Decal, uma viagem à Suíça.

O executivo foi preso pela Lava Jato, no ano passado, acusado de corrupção e lavagem de dinheiro. Pagou 3 milhões de reais de fiança e deixou a prisão, sem poder, no entanto, viajar para o exterior.

Sua defesa queria a autorização de Moro para que Mariano viajasse a Genebra em julho: “Ocorre que o requerente mantém três filhos e sua genitora residindo na Europa e desde sua prisão não manteve mais contato físico com seus familiares, estando acometido de natural saudade e anseio de rever seus entes queridos”.

O juiz justificou a negativa:

“Permanece, atualmente, com família no exterior, recursos financeiros e propriedades vultosas no exterior, o que equivale a dizer que, uma vez liberado o passaporte, o risco à aplicação da lei penal ressurgiria.”

Faça o primeiro comentário