Morte de Arolde antecipa recesso branco dos senadores

Morte de Arolde antecipa recesso branco dos senadores
Sessão Deliberativa Remota da 2ª Sessão Legislativa Ordinária da 56ª Legislatura. Ordem do dia. Em sessão virtual, o Senado vota quatro projetos de lei para o enfrentamento do coronavírus. O PL 1.006/2020 prevê a prestação de auxílio financeiro da União às santas casas e hospitais sem fins lucrativos que participam de forma complementar do Sistema Único de Saúde (SUS). O PL 805/2020 suspende por 120 dias a obrigatoriedade da manutenção das metas quantitativas e qualitativas firmadas pelos prestadores de serviço de saúde no âmbito do SUS. O PL 696/2020 dispõe sobre o uso da telemedicina durante a crise causada pelo coronavírus. O PL 702/2020 dispensa o empregado de comprovar motivo de quarentena durante o período da emergência de saúde pública. A sessão é realizada na sala da Secretaria de Tecnologia da Informação do Senado Federal (Prodasen) e conduzida pelo 1° vice-presidente do Senado Federal. Participam remotamente: vice-presidente do Senado, senador Antonio Anastasia (PSD-MG); senador Izalci Lucas (PSDB-DF); senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG); senador Weverton (PDT-MA); senador Paulo Albuquerque (PSD-AP); senador Major Olimpio (PSL-SP); senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA); senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP); senador Jorginho Mello (PL-SC); senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE); senador Arolde de Oliveira (PSD-RJ); senador Esperidião Amin (PP-SC); senador Wellington Fagundes (PL-MT); senador Eduardo Girão (Podemos-CE); senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR); senador Elmano Férrer (Podemos-PI); senadora Kátia Abreu (PDT-TO); senadora Rose de Freitas (Podemos-ES); senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB); senador Jaques Wagner (PT-BA). Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Com o luto oficial no Senado em razão da morte de Arolde de Oliveira, em decorrência de complicações da Covid-19, senadores só voltarão a votar matérias no próximo dia 3.

Na semana que vem, como já noticiamos, não haverá expediente no Senado, uma vez que Davi Alcolumbre decretou recesso branco (mais um) em meio à pandemia da Covid-19.

A justificativa é a de que os senadores precisam de tempo para se dedicarem às eleições municipais em seus estados. O primeiro turno será em 15 de novembro.

Leia mais: Em Brasília, plágio não impede ninguém de alçar grandes voos.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO