Mourão defende volta do coronavoucher: "Não podemos ser escravos do mercado"

Mourão defende volta do coronavoucher: “Não podemos ser escravos do mercado”
Foto: Alan Santos/PR

Hamilton Mourão defendeu a volta do pagamento do auxílio emergencial em meio ao agravamento da pandemia da Covid-19.

“Minha gente, a gente não pode ser escravo do mercado. Então, temos que entender o seguinte: nós temos aí uns 40 milhões de brasileiros que estão numa situação difícil. A gente ainda continua com a pandemia.”

De onde sairá o dinheiro?

“Em linhas gerais, ou você faz um crédito extraordinário, que aí seria o orçamento de guerra ou corta dentro do nosso orçamento para atender as necessidades. Não tem outra linha de ação fora disso.”

O vice afirmou que Jair Bolsonaro vai “levar pau” de um jeito ou de outro.

“Vamos lembrar que se ele disser que não vai auxiliar ele vai tomar pau, se ele ele disse que vai auxiliar, vai tomar pau também. É uma situação difícil, que julgo que ele vai buscar a melhor solução.”

Leia mais: Quem são os diretores da agência que darão o veredicto sobre as vacinas a serem aplicadas nos brasileiros
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO