Mourão: reforma será "boa", e não "ótima"

Telegram

No evento de que participou nesta manhã na FGV do Rio, Hamilton Mourão também falou sobre a reforma da Previdência — aprovada em primeiro turno pela Câmara na semana passada.

“Qual era a primeira coisa para buscar o equilíbrio fiscal? A reforma da Previdência. Ela está encaminhada. Não da forma como nós, do governo, gostaríamos, mas existe um velho aforismo no meio militar que diz que o ótimo é inimigo do bom. Então, vamos ter uma reforma boa, não uma ótima. Daqui a cinco, seis anos, nós vamos estar novamente discutindo isso aí.”

Mourão disse mais:

Para Moro, general Villas Bôas, atacado por Olavo, é 'herói nacional'. Saiba mais

“É como se o Brasil estivesse dentro de uma garrafa, e o gargalo é a reforma da Previdência. Temos que sair por este gargalo para que se crie um ambiente de estabilidade, e estabilidade gera confiança. É isso que está sendo buscado.”

É um prognóstico semelhante ao de Felipe Salto, diretor da Instituição Fiscal Independente (IFI), que disse hoje que uma nova reforma da Previdência terá de ser feita “em cinco ou dez anos”.

Comentários

  • Massaaki -

    Pois é, a própria área econômica reconheceu isso hoje, dizendo que também em 5 ou 6 anos teriam de rediscutir a questão da capitalização. Ainda bem que a bala de prata com tiro único acabou.

  • Giusti -

    Mas q aprovem e rápido. O Nrasil tem pressa. O Guedes precisa dessa definição para encaminhar as outras reformas.

  • Adélio -

    Reforma! Porque não cobra os 450 bilhões das empresas privadas que sonegaram o INSS, metade dessa "reforma". Conta outra piada.

Ler 24 comentários