MP acusa promotor de oferecer propina a desembargador para soltar miliciano

O Ministério Público do Rio denunciou hoje por corrupção o promotor Horácio Afonso de Figueiredo da Fonseca. Ele é acusado de oferecer R$ 190 mil ao desembargador Marcos André Chut para soltar um miliciano preso por roubo, informa a GloboNews.

As investigações apontam que ele ofereceu o suborno junto com o administrador Marcus Vinícius Pinto Chaves na casa do desembargador. O objetivo era soltar, durante o plantão do Judiciário, Adalberto Ferreira de Menezes, conhecido como Nenzinho.

Ao ouvir a proposta, Marcos André Chut denunciou o caso ao MPRJ. Além de Horário e Marcus Vinícius, também foi acusada a advogada Kelly Michelly de Oliveira Maia.

 

Leia mais: Marco Aurélio e o caso André do Rap: como a lei (e a mais alta corte do país) pode ser usada para libertar um criminoso considerado perigoso?
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 17 comentários
TOPO