ACESSE

MP aponta sobrepreço de R$ 478 mil em gestão de hospital de Salvador

Telegram

O Ministério Público da Bahia apontou sobrepreço de R$ 478 mil no contrato firmado entre a Secretaria de Saúde da Bahia e a organização social INTS para a gestão do Hospital Espanhol, em Salvador, dedicado a pacientes com Covid-19.

O valor total do contrato, para seis meses de operação, é de R$ 29 milhões. Para o MP, R$ 478 mil devem ser descontados porque referem-se a contribuições ao INSS e ao sistema S que entidades sem fins lucrativos não são obrigadas a pagar.

O MP também apontou diversas outras irregularidades e recomendou que o contrato, que vence no dia 3 de outubro, não seja prorrogado: erros de gestão, falhas no atendimento a pacientes e familiares, ausência de treinamento e protocolo de atribuições dos funcionários, além de indícios de subdimensionamento das equipes de UTI.

O contrato com o INTS para gestão do Hospital Espanhol foi citado por Jair Bolsonaro numa mensagem a Sergio Moro no dia 22 de abril, dias antes de sua demissão.

A mensagem dizia que o INTS pertenceria ao deputado Otto Alencar Filho (PSD-BA), que negou controle sobre a organização social.

Leia mais: Convite especial: garanta seu acesso à Crusoé e O Antagonista+ e GANHE um ebook sobre Sergio Moro. Clique e saiba mais

Comentários

  • FREDERICO -

    Precisa investigar os do Ceará...

  • Alex -

    A Bahia está impossível. Um escandâlo atrás do outro. A compra dos respiradores até hoje não deu em coisa nenhuma.

  • marcelão.mineirinho -

    Cada um dos 9 governadores nordestinos chefia sua própria quadrilha ! Também né, falando em títulos, Luladrão é um PHD na arte. Bons discípulos, bons alunos. rs.rs.

Ler 6 comentários