ACESSE

MP diz que, 'por cautela', não pedirá interdição da 'casa' de João de Deus

Telegram

Os promotores que investigam as denúncias de abuso sexual envolvendo João de Deus ainda não conseguem precisar o total de possíveis vítimas.

“Ainda é preciso que as vítimas venham prestar depoimento”, disse, em coletiva, Luciano Miranda Meireles, do Ministério Público de Goiás.

Ele explicou que somente após a fase de coleta dos relatos e das provas, o médium poderá ser interrogado.

O promotor também acrescentou que, “por cautela”, não há que se falar, neste momento, em interdição da Casa Dom Inácio de Loiola, em Abadiânia (GO), onde João de Deus realiza as cirurgias espirituais.

“Enquanto não tivermos algo concreto, por cautela, não poderemos interditar o estabelecimento.”

E mais:

“Tomaremos todas as providências, de forma célere, mas não atabalhoada.”

Os novos 'donos do poder': você precisa saber o que eles querem e o que estão dispostos a fazer. LEIA AQUI

Comentários

  • Walter -

    Pelo que entendi, haviam denúncias em 2010. Por quê tanta demora em investigar?

  • tokosakonalua -

    Vai q incorporava o caboclo chupateta? Vai dizer q não foi ele, foi a entidade, 🤔

  • Gustavo -

    Absurdo.. o Estado é laico!

Ler 52 comentários