MP do Rio erra em pedido de quebra de sigilo bancário de Flávio Bolsonaro, diz jornal

Os promotores que investigam Flávio Bolsonaro, segundo a Folha de S. Paulo, colocaram informações erradas na petição que pedia a quebra do sigilo bancário do senador e ex-assessores.

Os integrantes do Ministério Público do Rio afirmaram que o negócio envolvia 12 salas comerciais, compradas por Flávio por mais de R$ 2,6 milhões. Mas, ainda de acordo com a reportagem, ele tinha apenas os direitos sobre os imóveis da Barra da Tijuca, que eram quitados por uma empresa que assumiu a dívida.

Comentários

  • ANTONIO -

    Com estes esquerdistas ficará fácil desmantelar o projeto de poder narcocomunista. HAHAHA

  • Jorge -

    O problema é a parcialidade nas investigações, vejam que os outros Deputados que movimentaram muitos mais milhões do que o Queiroz, nada se fala deles, apurar tudo, divulgar tudo.

  • Walter -

    cada vez mais claro que esse MP é um bando de idiotas Petistas

Ler 123 comentários