MP-ES denuncia Sara Winter e pede indenização de R$ 1,3 milhão

Sara Giromini, a ativista bolsonarista conhecida como Sara Winter, foi denunciada pelo MP do Espírito Santo por meio da Promotoria de Justiça da Infância e Juventude de São Mateus, que ajuizou uma ação civil pública contra ela, informa o Estadão.

Segundo o MP-ES, a bolsonarista “teve acesso, de forma ilegal, a detalhes do caso de uma criança vítima de violência sexual que corre em segredo de Justiça” –trata-se do caso da menina de 10 anos que foi estuprada pelo tio, engravidou e foi submetida a um aborto, permitido por lei, num hospital de Recife. A criança recebeu alta hoje.

Ainda de acordo com a Promotoria, Sara usou as redes sociais para divulgar as informações obtidas ilegalmente, num vídeo “que obteve aproximadamente 66 mil visualizações” antes de ser tirado do ar.

Em virtude dessa divulgação “em frontal ofensa à legislação protetiva da criança e do adolescente”, o MP-ES pede a condenação da bolsonarista e o pagamento de indenização de R$ 1,32 milhão, a título de dano moral coletivo.

Leia mais: Por que os depósitos de Queiroz para Michelle Bolsonaro NÃO foram incluídos na investigação da 'rachadinha'? Estratégia
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO