MP-RJ pede afastamento de coordenador de conselhos tutelares

O MP do Rio pediu à Justiça que afaste Ahlefeld Maryoni Fernandes do cargo de coordenador dos conselhos tutelares do Rio por desvio de função. Em ação de improbidade, os promotores alegam que Fernandes não tem condições de exercer a função.

Ele foi nomeado em fevereiro, mas já havia sido afastado do Conselho Tutelar de Realengo em 2019 por suspeita de fraude em contratos de obras na sede do órgão.

Segundo o MP do Rio, a nomeação para o novo cargo é “temerária” e afronta os princípios constitucionais da administração pública, especialmente o da moralidade.

De acordo com a ação, “a manutenção do Requerido na condição de Coordenador de Apoio aos Conselhos Tutelares põe em risco a CREDIBILIDADE PÚBLICA NO SISTEMA DE GARANTIAS DE DIREITOS DA INFÂNCIA E JUVENTUDE, colocando em cheque a GESTÃO PÚBLICA, sob a perspectiva da estrita observância da moralidade pública e razoabilidade das decisões administrativas”.

Ahlefeld é conhecido no Rio como Rolifild. Segundo o G1, ele é um dos Guardiões do Crivella, grupo que, de acordo com o MP, foi montado pelo prefeito Marcelo Crivella para impedir a Globo de fazer reportagens sobre a situação da saúde no Rio.

Rolifild também é investigado pelo MP no caso que apura se a eleição de membros para os conselhos tutelares do Rio foi fraudada para beneficiar a Igreja Universal, da qual Crivella é pastor licenciado.

Leia mais: Exclusivo: a estratégia secreta para proteger ministros do STF contra a Lava Jato
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 6 comentários
TOPO