ACESSE

MPF cobra R$ 19,9 milhões de ex-ministro da Saúde

Telegram

O Ministério Público Federal acusou o ex-ministro Ricardo Barros e outros 4 servidores do Ministério da Saúde de favorecer e pagar R$ 19,9 milhões à empresa Global Gestão em Saúde para comprar medicamentos entregues com atraso.

A demora levou à morte 14 pessoas que precisavam dos remédios, exigidos da rede pública por decisão judicial e usados para doenças raras. A Global não tinha autorização para importar os produtos e foi contratada em 2017, por decisão de Ricardo Barros, sem licitação.

“Não há dúvidas de que os requeridos, inclusive a empresa Global Gestão em Saúde, devem ser condenados a reparar os danos causados à saúde de centenas de pacientes, em função de seu conluio ilícito, com a agravante de que, de suas condutas combinadas, decorreram danos extremos como a morte de pelo menos 14 pacientes”, diz a ação de improbidade.

O sucesso (ou insucesso) do 'posto Ipiranga' vai determinar se você se entrega ao passado de vez ou se você se lança ao futuro. LEIA AQUI

Comentários

  • Noely -

    Cadeia seria pena pequena por mentiroso e metido, são os Sarney do Paraná.

  • Antonio -

    Agora cada família deve processar esses petezados por homicídio culposo mais indenizações por dano moral.

  • FABRICIO -

    Tem que prender esses vagabundos. No mínimo ele ficou com 1 milhão de propina.

Ler 21 comentários