ACESSE

MPF denuncia ex-juízes eleitorais por corrupção no Rio Grande do Norte

Telegram

O Ministério Público Federal denunciou hoje por corrupção os advogados Carlo Virgílio Fernandes de Paiva e Verlano de Queiroz Medeiros, ex-juízes do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte — foram acusados de vender votos num julgamento ocorrido em 2014.

Na época, o ex-prefeito do município de Francisco Dantas, Gilson Dias Gonçalves, teve o mandato cassado e lançou a candidatura de sua mulher, Maria Aparecida de Araújo, na eleição suplementar. Ela, no entanto, teve o registro rejeitado na primeira instância da Justiça Eleitoral.

Gilson, então procurou então o advogado Erick Wilson Pereira, do mesmo escritório de Verlano Medeiros, para influenciar o voto de Carlo Virgílio no julgamento do recurso de Maria Aparecida no TRE para se manter na disputa.

Como relator do caso, Carlo Virgílio chegou a suspender a diplomação dos rivais de Maria Aparecida que venceram a eleição suplementar. Gilson levantou R$ 150 mil para pagar pela decisão, segundo a denúncia.

“[Houve] intensa e deliberada atuação de referidos advogados (Erick e Verlano) nos bastidores da política, como verdadeiros lobistas de interesses próprios e alheios. (…) Verlano Medeiros prestava auxílio a Erick Pereira no escritório e inclusive se utilizava de sua condição de juiz do TRE/RN para atender a interesses do primeiro”, diz a acusação.

Leia também: A suspeita de um plano de espionagem no Planalto?

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 12 comentários