MPF pede prisão de mulher de Cabral

O MPF no Rio de Janeiro recorreu ao TRF-2 para pedir a prisão temporária de Adriana Ancelmo, mulher de Sérgio Cabral. Os procuradores da Operação Calicute já haviam pedido a prisão da advogada, mas o juiz Marcelo Bretas optou pela condução coercitiva.

O escritório Ancelmo Advogados recebeu R$ 35 milhões de várias empresas com contratos com o poder público ou concessionárias.

Segundo O Globo, dos dez maiores contratos de Adriana sete foram celebrados com empresas que receberam benefícios fiscais do governo fluminense entre 2008 e 2015. Mais de R$ 27 milhões são de contratos com grupos que receberam R$ 4 bi em isenções.

Ao todo, o governo de Cabral concedeu cerca de R$ 140 bilhões em benefícios fiscais.