MPF: privatização do Serpro ameaça segurança nacional

MPF: privatização do Serpro ameaça segurança nacional
Foto: Divulgação/Serpro

A Câmara de Consumidor e Ordem Econômica do Ministério Público Federal pediu ao Ministério da Economia que retire o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) do programa de privatizações.

Afirmou que a estatal faz o tratamento de dados pessoais ligados à segurança pública, à defesa nacional e à segurança do Estado, o que, conforme a nova Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), não pode ficar a cargo de uma empresa privada.

O MPF diz que o Serpro processa as declarações de imposto de renda de todos os brasileiros, incluindo das mais altas autoridades do país. A privatização, argumenta, poderia colocar os dados até mesmo sob a guarda de grupos estrangeiros.

“Além de contrariar a LGPD, a prestação de serviços afetos à segurança nacional, hoje realizados pelo SERPRO em benefício do Exército, por uma empresa privada controlada total ou parcialmente por um grupo estrangeiro, constitui risco à segurança do Estado”, diz o documento.

Leia mais: A prisão do deputado Daniel Silveira, que ofendeu ministros do STF num vídeo, é mais um capítulo da avacalhação da democracia brasileira.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO