MPF do Rio não pediu investigação de subprocurador-geral e desembargador

O pedido do MPF para investigar o governador Pezão, revelado ontem por O Antagonista, não é extensivo ao subprocurador-geral de Justiça Marfam Vieira e ao desembargador Ricardo Couto, do TJRJ, como havíamos publicado.

Marfam e Couto, portanto, não serão investigados.

Os dois foram flagrados pela PF em jantar com Edson Albertassi após sua sabatina para ocupar cargo de conselheiro do TCE do Rio. O relatório policial com fotos do encontro foi anexado ao parecer encaminhado pelo MPF ao vice-PGR para apuração apenas do envolvimento de Pezão na nomeação.

Em nota ao site ontem, Couto informou que o encontro faz parte das atribuições administrativas do cargo de coordenador do Fundo Especial do TJ do Rio e que foi comunicado à Presidência do tribunal.

Marfan, também por meio de nota, disse basicamente o mesmo, ressaltando que o restaurante é “aberto ao público”.

“Tratou-se de encontro entre o membro incumbido do relacionamento institucional do MPRJ e o parlamentar responsável pela liderança da base governista na ALERJ, o que constitui conduta absolutamente regular e comum nas relações entre os poderes.”

 

Renan promete a reforma da Previdência — e barrar os planos de Sergio Moro. Leia aqui

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. encontro institucional num restaurante ? disse:

    encontro institucional num restaurante ? tem alguma coisa muito esquisita ai

Ler comentários
  1. PETULANTE disse:

    Não estaria o MPF a instituir o "foro privilegiado" da classe? Já disse por vezes que esses procuradores do MPF se apresentam como os "paladinos da moralidade" alheia. Tocam bumbo contra o Legislativo e contra o Executivo mas para seus cupinchas do Judiciário vale "corporativismo total"!

  2. Claudio G. de Oliveira disse:

    Por que será que o MP do Rio nunca desconfiou da vida nababesca de Cabral, dos jantares animados da turma do guardanapo em Paris, dos passeios de iate e dos voos de helicóptero rumo à mansão de Mangaratiba? Por que será que nenhum juiz ou desembargador foi citado nas delações premiadas? Por que será que Luiz Zveiter nunca foi citado? Não era ele o presidente do TJ do Rio durante as obras de ampliação do tribunal feitas pela Construtora Delta, de Fernando Cavendish, aliado de Cabral, que presenteou Adriana Ancelmo com o famoso anel de R$ 800 mil? O povo brasileiro mais uma vez está sendo enganado pelo corporativismo do Judiciário. Esse mesmo Judiciário que foi ao STF pedir apoio a Carmen Lúcia para defender a manutenção de seus privilégios absurdos, com o tal auxílio-moradia. Que piada!

  3. Prerrogativa de Foro disse:

    ou foro privilegiado . Certamente a competência é de outro órgão . Ou seria imunidade prévia ?

  4. PEZÃO na BUNDA, o DELINQUENTE da QUADRILHA de JUQUINHA do HELICÓPTERO, de JOINHA H. STERN, de BARATA BUS e do PMDB disse:

    •••••• •••••• • “TEM QUE INVESTIGAR o TOGA e a TOGA” • “QUE RECEBEM 2 AUXÍLIO–MORADIA e POSSUEM RESIDÊNCIA” • " SENÃO a REFORMA da FALÊNCIA é INEVITÁVEL" •••••• •••••• • “TEM QUE INVESTIGAR o TOGA e a TOGA” • “QUE RECEBEM 2 AUXÍLIO–MORADIA e POSSUEM RESIDÊNCIA” • " SENÃO a REFORMA da FALÊNCIA é INEVITÁVEL" •••••• •••••• • “TEM QUE INVESTIGAR o TOGA e a TOGA” • “QUE RECEBEM 2 AUXÍLIO–MORADIA e POSSUEM RESIDÊNCIA” • " SENÃO a REFORMA da FALÊNCIA é INEVITÁVEL" •••••• ••••••

  5. vera regina marques disse:

    E vai ficar por isso mesmo?

  6. Luiz Lima disse:

    A história se repete ad aeternum. Nossas "autoridades" desconhecem as razões da guerra civil que enfrentasmos e que se tornou irreversível. Mas os motivos se mostram bem claros: as "autoridades" oferecem os piores exemplos, mostrando que são ladrões, pilantras, salafrários, moralmente desqualificados, uns vermes imundos!

  7. Alguém confia no Segóvia? disse:

    Eu duvido até dessa Operação Pausare da PF de hoje, sob o comando de Segóvia. Alguém confia?