MPF vê 'prejuízos irreparáveis' com juiz de garantias

Telegram

Ao pedir o veto ao “juiz de garantias”, inserido por deputados no pacote anticrime, o MPF alertou para o risco de afastar do julgamento magistrados que atualmente supervisionam investigações.

Como mostrou O Antagonista na semana passada, a medida impediria Edson Fachin e Marcelo Bretas de condenar réus nos processos da Lava Jato.

“Os juízes e os ministros que atuaram nesses processos, na fase da investigação, seja deferindo buscas e apreensões, prisões preventivas e quebras de sigilos, seja homologando acordos de colaboração premiada, serão sumariamente retirados dos processos, por impedimento legal superveniente, e proibidos de julgarem ou participarem do seu julgamento, sob pena de nulidade, causando prejuízos irreparáveis à persecução penal e ofendendo o interesse público na rápida solução desses casos”, diz nota técnica das câmaras de combate ao crime e à corrupção.

Jabuti no pacote anticrime pode tirar Bretas e Fachin de julgamentos da Lava Jato

Comentários

  • lojo -

    isso é um absurdo, nós pagadores de impostos teremoas que bancar mais uma casta de privilegiados sem a mínima necessidade, é a quarta instância, na verdade, ri dí cu lo

  • Okles -

    Entendo é manobra pra mudar juizes no STF. Porém o juiz de garantias não será muito bom para os criminosos assim não.

  • Rosa -

    VETA BOLSONARO

Ler 17 comentários