Muito além das sandices

Extraímos um trecho do editorial do Estadão intitulado “Medo do futuro”:

“É tão forte o impacto provocado pela queda do pedestal em que sempre se imaginaram que os petistas desandaram a dizer mais sandices do que nunca na tentativa de disfarçar o vexame e o constrangimento de que estão tomados. Desta vez foi o piedoso Gilberto Carvalho, um dos mais fiéis e antigos escudeiros de Lula, que perdeu uma excelente oportunidade de ficar calado. A um repórter da Folha de S.Paulo que o questionou sobre as notícias de que a Construtora Odebrecht teria pagado a reforma do sítio ‘de amigos’ que Lula costuma frequentar em ‘dias de descanso’, o ex-ministro de Lula e de Dilma expôs o que ia em sua alma: ‘É a coisa mais natural do mundo que você possa ter empresas contribuindo com essa ou com aquela pessoa’.

Pois é. Do mandachuva ao carregador de mala, a nata da filosofia petista acredita, do fundo do coração, ser ‘a coisa mais natural do mundo’ as liberalidades que se tem permitido há 13 anos no trato da coisa pública – especialmente do dinheiro. Para eles, a verdade é que tudo que policiais, procuradores e juízes mal-intencionados anunciam por meio de vazamentos seletivos para a imprensa golpista é uma enorme e injusta perseguição de heróis populares.”

Tudo estaria limitado a sandices, se a “nata da filosofia petista” não representasse uma ameaça real à autonomia do Judiciário e às liberdades de informação e opinião.

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200