Muito camarão e pouco remédio

O petista Agnelo Queiroz deixou um rombo de 5 bilhões de reais em Brasília.

De acordo com a Veja, os promotores que estão analisando as contas do Distrito Federal encontraram “um cenário perturbador, com pagamentos superfaturados, convênios nebulosos e a existência – acredite – de contratos verbais”.

O Ministério Público, diz a Veja, já decidiu processar Agnelo Queiroz por improbidade por causa de um superfaturamento de pelo menos 30 milhões de reais no contrato de reforma do autódromo de Brasília, que custou quase 300 milhões de reais. O petista também ordenou uma reforma de 1,5 milhões de reais na residência oficial do governo e abriu licitação para adquirir 40 toneladas de carne, incluindo 800 quilos de camarão.

Enquanto isso, a rede pública de saúde acumulava “215 itens itens em falta, como medicamentos essenciais, gaze e luvas esterilizadas”. É um bom resumo dos desastres do petismo: muito camarão e pouco remédio.

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200