Na contramão de Guedes, Barros insiste em precatórios para financiar Renda Cidadã

Na contramão de Guedes, Barros insiste em precatórios para financiar Renda Cidadã

Ricardo Barros voltou a se reunir nesta quarta (30) com representantes do mercado financeiro para esclarecer dúvidas sobre o andamento das reformas e o imbróglio envolvendo o financiamento do Renda Cidadã.

Segundo o Estadão, o evento virtual com o líder do governo na Câmara teve a participação de vários profissionais de bancos, corretoras e gestoras de recursos.

O deputado falou nas dificuldades do governo para encontrar um consenso sobre financiar programas sociais para “milhões de brasileiros que deixarão de receber o auxílio emergencial de R$ 300 a partir de janeiro” sem ferir as regras fiscais.

“É uma equação difícil. Vocês, do mercado, sabem do que eu estou falando. O governo não quer sinalizar com quebra do teto e quer retomar a normalidade orçamentária e o rigor fiscal o quanto antes, mas não tem parto sem dor. Não vai ter solução sem que de algum lugar saiam os recursos.”

Barros disse que o governo reconhece que precatório “é dívida que tem de pagar e não negamos que tem de pagar”, mas defendeu o relatório de Márcio Bittar que propõe usá-los para financiar o Renda Cidadã. A manobra foi chamada de “pedalada” por vários especialistas —e rechaçada hoje por Paulo Guedes, que a descreveu como um “puxadinho”.

“Está se propondo repetir solução que Estados já têm. Não é desejável, mas temos de definir entre isso ou furar o teto, que para mim não é melhor solução”, declarou o líder do governo na Câmara.

O deputado alegou ainda que a ideia do governo era tratar da questão do custo do Renda Cidadã dentro da reforma tributária, mas não houve consenso entre os líderes para aprovar a proposta.

Leia mais: Exclusivo: a casa secreta de Brasília onde ministro conspira contra ministro
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 35 comentários
TOPO