ACESSE

Na ditadura, sobrava dinheiro para os sindicalistas do ABC, diz Guedes

Telegram

Em evento sobre a MP da liberdade econômica no STJ, há pouco, o ministro Paulo Guedes disse que os sindicatos eram parceiros do governo na ditadura militar.

“Sobrava [dinheiro] para o governo com bastante impostos, sobrava para as montadoras e sobrava também para os sindicalistas do ABC paulista, que ganhavam 10, 12, 13 vezes mais que a média do trabalhador brasileiro, porque, se não pagassem, eles iam para a porta da fábrica e ameaçavam quem quisesse trabalhar e quebravam tudo e brigavam com a polícia e aí parecia que era coisa da ditadura.”

Ele emendou:

“Não, a ditadura estava garantindo aqueles salários extraordinários para aquele grupo seleto de sindicalistas. Quem conhece a economia sabe quem era parceiro de verdade da ditadura militar.”

E se Paulo Guedes deixasse o governo? O mundo desabaria? SAIBA MAIS AQUI

Comentários

  • VITOR -

    Paulo Guedes está certo. O regime militar era estatista e, como todo bom regime estatizante, escolhia seus industriais privilegiados. Aquilo nunca foi um capitalismo de verdade com livre concorrênci

  • Amilcar -

    Não entendi bem o espirito da coisa, na época dos governos militares a contribuição sindical não era obrigatória e, muito menos, a sindicalização dos trabalhadores.

  • Gonçalo -

    Paulo Guedes não mente. Há na literatura livros e mais livros contando esses fatos que ele narrou. Lula era um desses sindicalistas.

Ler 16 comentários